E tudo começou com Steve Jobs: minha conexão com a Retrospectiva Biográfica


Foi durante uma tarde chuvosa que eu vi pela primeira vez o discurso que Steve Jobs fez para uma turma de formandos de Stanford. Ele começava dizendo que aquele momento era o mais perto do que ele já havia chegado de uma formatura, pois anos atrás havia decidido abandonar o curso da faculdade por ser caro demais. Porém ele tinha abandonado apenas o curso e não a faculdade, pois, ao invés de assistir aulas obrigatórias, ele simplesmente passou a assistir aulas que o interessavam.


Foi aí que ele fez um curso de caligrafia, que na época não tinha utilidade nenhuma, mas que ele achava legal, e 10 anos mais tarde esse curso de caligrafia o ajudou a criar os tipos de letras do Macintosh / Apple que passaram a fazer tanto sucesso.

E Steve Jobs disse: “Você não consegue ligar os pontos olhando para frente; você só consegue ligá-los olhando para trás.”

Essa frase reverberou muito em mim. “Faz todo sentido...” pensei. Nossa tendência é querer ligar os pontos olhando para frente, quando, na verdade, temos que ter a confiança de que as decisões que tomamos hoje irão ligar os pontos de alguma maneira no futuro.


Passado um tempo, estava eu fazendo minha segunda formação de Coach e o tema do módulo era Biografia Humana. Ao vivenciar pela primeira vez o que era uma Retrospectiva Biográfica e ser introduzida na teoria do desenvolvimento humano com base nas leis biográficas e seus arquétipos fiquei fascinada! Gostei tanto que quis aprofundar e logo iniciei minha Formação Biográfica que espero concluir em 2021.

Opa... mas o que é uma lei biográfica e um arquétipo? O que é Biografia Humana e Retrospectiva Biográfica? Sugiro você se acomodar bem confortavelmente pois esse assunto é muito interessante!


Antes de falar em leis biográficas e arquétipos é preciso compreender o que é uma biografia... A palavra Biografia em grego significa Bio = Vida e Grafia = Escrever. Podemos entender então que Biografia Humana é o registro de uma vida.

Cada pessoa escreve a sua própria biografia à medida em que pensa, sente e vivencia os acontecimentos de sua vida.

Segundo a Antroposofia (ciência que desvenda a natureza humana e o universo fundada por Rudolf Steiner), a biografia de uma pessoa não é apenas uma sequência de fatos e acontecimentos aleatórios. São vivências que têm significado, carregam sentimentos e tiveram um papel importante no desenvolvimento dessa pessoa, para que ela chegasse a ser quem ela é hoje.

A vida de todas as pessoas se desenvolve em fases que para cada um vai se diferenciar em conteúdo, significado e desafio. Ao olharmos cada uma dessas fases (setênios – períodos de 7 anos) vamos encontrar vivências que se apresentaram de maneiras diferentes para cada pessoa, mas que estavam a serviço de uma etapa do desenvolvimento humano, de transformação interna própria para aquela idade, para aquela fase de vida.

Essa é uma lei biográfica, ou seja, uma vivência que rege os processos da vida a serviço do desenvolvimento, um desafio a ser superado para se continuar evoluindo enquanto ser humano e que também será vivenciado por várias pessoas.

Por exemplo, quem já foi adolescente e sentiu-se revoltado com regras e restrições que lhes eram impostas, e aí sentia raiva, junto com o sentimento de impotência e se sentia incompreendido. Depois, ao longo do tempo foi aprendendo a controlar essas reações, foi se compreendendo como pessoa... vivenciar esses questionamentos e conflitos internos na fase adolescente é uma lei biográfica e faz parte da vida de muitas pessoas. Importante ressaltar que uma biografia é composta de vivências que são comuns a outras biografias e também de vivências que são únicas e muito particulares de cada indivíduo.

E o que é um arquétipo?

Um arquétipo é um conjunto de características que representam idealmente uma imagem.

Na Biografia Humana, cada setênio representa um arquétipo em termos de desenvolvimento humano, ou seja, possui características que representam aquela fase de vida. Por ser um modelo ideal, o arquétipo puro não existe, mas podemos olhar suas características e nos identificar com várias delas.


Por exemplo, o arquétipo do 1º setênio (fase dos 0 a 7 anos) é o ninho familiar onde teoricamente a criança encontrará calor e afeto para ganhar segurança e ir cada vez mais experimentar o mundo; é o brincar alegre e criativo e o aprendizado por imitação. Essas características estavam presentes na sua infância?

Então, agora que já falamos sobre leis biográficas e arquétipos, falta explicar o que é o trabalho com a Biografia Humana... e hoje vou focar no trabalho da Retrospectiva Biográfica.

A Retrospectiva Biográfica consiste em resgatarmos nossas lembranças e memórias dos principais acontecimentos da nossa vida em cada setênio.

Como expliquei, cada setênio tem suas leis biográficas e arquétipos que estão a serviço do nosso desenvolvimento. E aqui eu trago de volta Steve Jobs...


O que Steve Jobs tem a ver com a Retrospectiva Biográfica? Tudo! Porque fazer uma Retrospectiva Biográfica é, no final das contas, a oportunidade que temos de olhar para trás e conectar os pontos... ou seja, olhar para os eventos da nossa vida, desde o nascimento até o dia de hoje, e com a maturidade que temos agora compreender que as situações que vivenciamos, os sentimentos, impulsos, dúvidas e medos que nos impactavam, as decisões que tomamos há tempos atrás contribuíram para nós sermos quem somos hoje.


Tudo isso de forma estruturada, tendo as leis biográficas e os arquétipos como pano de fundo para nos ajudar a compreender o contexto e a fase de vida em que vivíamos, sendo tudo isso parte da nossa jornada de desenvolvimento enquanto ser humano.

Retrospectiva Biográfica não é uma mera recordação dos fatos, mas sim de uma experiência imaginativa que possibilita um ganho de consciência e uma auto conexão onde a pessoa se percebe como ser em constante transformação e evolução. Ao longo desse trabalho vamos conectando os pontos, cada vivência importante da nossa vida e assim temos um panorama geral do que vivemos até agora, do que nos ajudou a sermos quem somos hoje.

Com uma maior consciência de quem somos, das nossas fortalezas, da nossa trajetória de vida e do nosso propósito podemos planejar melhor os próximos passos que almejamos dar.


Gostou de conhecer um pouco mais sobre Biografia Humana e as possibilidades de autoconhecimento que ela traz? Continue seguindo nossas mídias sociais para acompanhar os próximos textos onde falarei com mais detalhes sobre as características dos arquétipos!


Erica Mizumoto é cofundadora da Eight∞, coach, e apaixonada pelas biografias que conhece. Facilita processos de Retrospectiva Biográfica individual e em grupos.


Nossos Cases