Métodos de grupo e suas diferenças para ativar a inteligência coletiva



‘A colaboração é o ato físico de fazer conexões novas e inéditas. Quando duas ou mais pessoas trabalham juntas por um objetivo compartilhado, o resultado do trabalho é diferente da soma das contribuições.”

Benjamin Hardy


Existem muitos métodos de trabalho em grupo que têm como objetivo estimular a troca de saberes, a colaboração e a inteligência coletiva a partir de diálogos. Muitas pessoas me perguntam quais são as principais diferenças especialmente em relação a dois deles: o Action Learning e o Codesevolvimento. Acredito que um dos motivos desses questionamentos vem do fato de que o Action Learning foi uma fonte de inspiração para Adrian Payette e Claude Champagne, criadores do Codesenvolvimento, e, portanto, com muitas similaridades.


Como ponto de partida para falarmos sobre isso vamos olhar com mais detalhes as próprias definições de cada abordagem:


Segundo a WIAL (World Institute of Action Learning), Action Learning é um método para resolução de problemas complexos, importantes e urgentes e envolve um pequeno grupo de pessoas que reflete e aprofunda o entendimento de um problema real até suas raízes. A partir do consenso sobre esse problema ou desafio essas pessoas criam um plano de ação.”


Para os criadores do Codesenvolvimento, Adrien Payette e Claude Champagne, O grupo de codesenvolvimento profissional consiste em uma abordagem de grupo aberta, colaborativa e apreciativa para reflexão sobre ação. O objetivo é construir uma comunidade profissional de prática em torno de um pequeno número de pessoas que desejam dedicar tempo e recursos para se apoiarem mutuamente e aprenderem juntos, a fim de se tornarem mais eficazes. Essas pessoas têm um projeto comum para articular suas melhores práticas e aconselharem-se mutuamente ampliando seu entendimento e estratégias de ação sobre suas preocupações, problemas e projetos; eles também podem realizar ações que tenham um impacto em sua comunidade.”


Em ambos os casos, fala-se de um pequeno grupo de pessoas e de ampliação e aprofundamento do entendimento do assunto que é levado ao encontro.


A partir das duas definições, gostaria de chamar a atenção para o objetivo de cada um dos métodos. Como objetivo principal, ambos são práticas colaborativas e reflexivas. Entretanto, um encontro de Action Learning tem como foco criar um plano de ação para a resolução de um problema real, importante e urgente enquanto no Codesenvolvimento, o objetivo é construir uma comunidade onde os membros se apoiam mutuamente e aprendem uns com os outros. Desta forma, um grupo de Codesenvolvimento se encontrará muitas vezes e este grupo acaba se consolidando para muito além de um clássico programa de desenvolvimento, tornando-se uma fonte segura de troca e aprendizagem mesmo muito tempo depois dos encontros terminarem. A cada reunião um dos participantes trará seu tema para compartilhar com os demais e é na frequencia dos encontros e na troca entre os participantes que o método ganha sua profundidade e força. Já no caso do Action Learning, é possível montarmos um grupo que se encontra apenas uma vez com o objetivo de solucionar um problema.


Quais são as diferenças e semelhanças a partir dos elementos que compõem os métodos?


No Action Learning são cinco os elementos fundamentais para que uma sessão aconteça: o grupo, perguntas, o coach, o problema, ação (action) e aprendizagem (learning). Todos esses elementos também fazem parte de uma sessão de Codesenvolvimento, entretanto há algumas diferenças que tornam os métodos distintos:


Grupo: um grupo de Action Learning não apresenta quase nenhuma restrição ao perfil dos participantes, desta forma ele pode ser formado por profissionais da mesma equipe, de equipes diferentes, com diversas formações, níveis hierárquicos e toda a diversidade de participantes é estimulada e beneficia o processo. Já no Codesenvolvimento, a formação do grupo é um ponto nevrálgico para o sucesso do processo, há que se observar a existência ou não de conflitos entre os participantes e a sua alçada de atuação dentro da organização.


Perguntas: durante uma sessão de Action Learning, afirmações podem ser feitas somente em resposta a uma pergunta. No Codesenvolvimento, as perguntas também são fundamentais para o desenvolvimento do encontro, entretanto, afirmações podem ocorrer sem prejuízo da sessão. Piramidar em cima de respostas, com propósito centrado no pedido do cliente (participante que apresenta o problema), é considerado como uma forma de enriquecimento da oportunidade de troca. No Codesenvolvimento as contribuições também podem ser feitas através de imagens, metáforas e compartilhamento de experiências. No Action Learning essas trocas também podem acontecer, mas somente a partir de uma pergunta feita por alguém do grupo.


Problema: no Action Learning é importante que o tema tratado seja um problema ou dilema, real, importante e urgente para o participante que está apresentando a questão. Já no Codesenvolvimento, usamos os 3 P’s, o tema pode ser um problema, um projeto ou uma preocupação que esteja “viva” no cliente. Diferentemente do Action Learning, no Codesenvolvimento o grupo não precisa chegar em um consenso no entendimento do problema, já que ele traz um olhar sistêmico, de entendimento do contexto, onde cada olhar é, por si só, distinto e único. Uma outra característica importante que diferencia o Codesenvolvimento do Action Learning neste quesito é que, neste último, é possível a condução de sessões de problema de grupo e problemas trazidos por pessoas de fora do grupo(sponsor) enquanto as sessões de Codesenvolvimento sempre se centram num temo do cliente daquele encontro.


Ação: no Codesenvolvimento não há uma busca explícita por uma ação, o foco está na mudança da interação do cliente com seu tema (problema, preocupação, projeto). As pistas de ação são bem vindas, mas não são o principal objetivo da reunião. No Action Learning, como o próprio nome diz, uma (ou mais de uma) ação é esperada como solução para o problema trazido e é isso que fará o problema ser movimentado.


Aprendizagem: ambos os métodos propiciam aprendizagem e preocupam-se em trazer ampliação da consciência sobre a importância da aprendizagem coletiva e de como compartilhar um tema alavanca as oportunidades de aprender. No caso do Action Learning, além as aprendizagens oferecidas pelo próprio tema trazido para o encontro, ainda há oportunidade de aprendizagem através da prática das habilidades de liderança que são escolhidas por cada participante para serem exercitadas durante a sessão, dessa forma a aprendizagem acontece em três níveis: individual, grupal e contexto.


Coach: um coach facilitador de Codesenvolvimento tem um papel híbrido durante o encontro. Assim como no Action Learning, ele é responsável por ser o guardião do processo: garantir que a sessão ocorra dentro das etapas planejadas, cuidar do tempo, fazer intervenções de aprendizagem, zelar para o equilíbrio e bom funcionamento do grupo. Entretanto, diferente do Action Learning, onde o coach não se envolve no assunto trazido, o facilitador de Codesenvolvimento tem o papel também de acompanhar o cliente durante toda a sessão, cuidando para que o cliente seja o ponto focal daquele encontro, garantindo que a sessão esteja a seu serviço para isso poderá entrar no tema apoiando no esclarecimento do problema, atuando como consultor, aportando sua essência. É importante mencionar que no Codesenvolvimento, o facilitador e o cliente têm um encontro pré-sessão para alinhamento do assunto que será trazido assegurando ainda mais esse posicionamento do cliente no centro do encontro.


Cada método tem suas particularidades e não há um melhor que o outro, é o contexto trazido e os objetivos do programa que definirão qual deles utilizar. O que não podemos esquecer é do que o Action Learning e o Codesenvolvimento têm em comum: ambos são uma experiência transformadora, que estimulam uma mentalidade de abundância, na qual, cada participante experimenta a colaboração e os efeitos da inteligência coletiva, habilidades fundamentais do século 21.


Se você gostaria de conhecer mais sobre o Codesenvolvimento e o Action Learning, aqui vão alguns artigos lá do nosso blog sobre os assuntos, lá você encontrará um pouco das nossas experiências e depoimentos de alguns participantes:


https://www.8dialogos.com.br/single-post/action-learning-para-turbinar-a-colabora%C3%A7%C3%A3o-a-agilidade-e-os-resultados

https://www.8dialogos.com.br/single-post/2019/07/13/desenvolvimento-de-lideran%C3%A7a-com-action-learning


https://www.8dialogos.com.br/single-post/dilemas-em-foco-rh-como-acelerar-meu-desenvolvimento-a-partir-de-trocas-colaborativas

https://www.8dialogos.com.br/single-post/dilemas-em-foco-como-liderar-no-novo-normal-um-trabalho-de-colabora%C3%A7%C3%A3o-em-a%C3%A7%C3%A3o



Christine Bona De Napoli é Membro da Eight Rede Colaborativa de Diálogos Transformadores | Professional Certified Coach | Co-fundadora da Rede Codesenvolvimento Brasil e formadora de facilitadores de codesenvolvimento | Agente de Transformação Cultural. Buscando sempre o novo para apoiar pessoas na descoberta e construção do caminho em direção ao seu propósito.


Nossos Cases
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social

Acompanhe nosso Instagram

© 2020 Criado por EIGHT∞ | DIÁLOGOS TRANSFORMADORES. 

 Nossa Playlist no Spotify

Midias Sociais

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
Whatsapp Transp bco.png