O Sagrado Feminino


Quando penso nesse tema não consigo percebê-lo pela ótica de gênero, mas sim de energia. É certo que a mulher possui particularidades únicas como o ciclo menstrual, a gestação, a amamentação. E isso pede dela uma gentileza maior consigo mesma. A mulher traz em si uma ancestralidade sagrada, de onde emana uma força intuitiva e sensível que foi sufocada ao longo do desenvolvimento da sociedade. Desenvolvimento esse que trouxe o bônus de poder de fato existir no mundo, mas trouxe o ônus de se desconectar de seu sagrado feminino. No entanto, o sagrado feminino enquanto energia também habita o homem. Manifesta-se nele como energia de acolhimento, de sensibilidade, de gentileza, de percepção aguçada. E o sagrado masculino também habita a mulher, como energia de força, foco, objetividade.

É tempo de a mulher se reconectar com seu sagrado para manter-se em equilíbrio. É tempo de o homem se reconectar com seu sagrado para manter-se em equilíbrio. É tempo de pararmos com polaridades, rótulos e separações e nos percebermos inteiros, unos. É tempo de a humanidade reconhecer e aceitar que é na integração e na conexão que encontra seu verdadeiro caminho de evolução.

Ana tem buscado a conexão com seu sagrado integrando suas grandes paixões e talentos através da dança e da escrita. Além disso é Coach, Facilitadora de grupos e Administradora.

Nossos Cases
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social

Acompanhe nosso Instagram

© 2020 Criado por EIGHT∞ | DIÁLOGOS TRANSFORMADORES. 

 Nossa Playlist no Spotify

Midias Sociais

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
Whatsapp Transp bco.png