Um olhar permeado pela gratidão

August 9, 2016

 

Fim da tarde eu estava dirigindo, indo buscar minha filha na escola e antes de entrar na avenida principal o por do sol quase me atropelou. Fiquei inebriada pela imagem. De repente virei a esquina e o sol estava ali na minha frente gigantesco, amarelo, laranja, incrível. Me deu até um medo, era muito lindo, que sol é esse? Essa cor? Esse tamanho? Parei o carro e comecei a agradecer. Era como se todas as células do meu corpo agradecessem aquela imagem. Tudo naquele momento fez sentido, todos os problemas desapareceram, nada era mais importante do que observar aquele sol. E depois quando ele finalmente se pôs, me perguntei: será que todo dia é assim e eu não percebo? Como eu tenho perdido isso? E nesse instante uma palavra me veio à mente: Gratidão.

 

Bem, desde que comecei minha jornada de autoconhecimento, nenhum tema me impactou mais do que a gratidão. Talvez pela simplicidade com que ela nos faz olhar o dia a dia trazendo um brilho todo especial ou talvez pelos resultados tão imediatos que surgem quando entro em contato com a ela. Fato é que os cenários se transformam a partir das lentes da gratidão.

 

Então comecei a observar, nada cientificamente, apenas a pura observação, como esse olhar permeado pela gratidão funcionava. E percebi uma conexão profunda, comigo, com os outros e com todo Universo. A partir do olhar embriagado pela gratidão, percebo cores, nuances e vivências que antes já havia esquecido que existiam, ou ainda, nunca havia visto…Saio do automático e surge uma presença genuína na minha interação em todos os âmbitos.

 

Sentir gratidão pra mim não é algo natural, eu preciso lembrar que ela existe, eu preciso me esforçar em buscar esse sentimento dentro de mim… e partir daí ele vem… vem… e invade…Acordo, me sinto grata por estar viva e sentir minha respiração, isso me ajuda a me conectar com meu corpo. Lembrar de cada órgão funcionando para um bem maior me faz sentir realmente viva!!! Agradeço pelo sol, ou pela chuva e me vem uma sensação especial de que mais um dia vem pela frente e com ele milhares de novas possibilidades.

 

Começo então a interagir com as pessoas com outra qualidade, feliz por ter meus filhos e mesmo as atividades rotineiras — e às vezes cansativas, como ajudá-los na lição de casa ou levá-los para a escola — se transformam… No meu coração e na minha mente surge uma leveza, mais uma oportunidade de estar com meus filhos, de demonstrar meu amor, ensinar meu valores… a rotina não pesa, estou grata.

 

Continuo conectada com esse sentimento de gratidão e assim o dia flui, leve, feliz. Mas de novo, não é natural, faço um esforço e a gratidão está lá para me lembrar de tudo que já esqueci. Que sou saudável, que tenho um marido maravilhoso, dois filhos lindos, pais e irmãos que eu amo, amigos especiais, um trabalho que apóia o desenvolvimento do outro, um Deus amoroso que cuida de mim, enfim, um monte de coisas legais que geralmente eu esqueço. Simplesmente esqueço.

 

Por isso, deixo um óculos de gratidão na cabeceira da cama. Preciso dessas lentes. E o que isso de óculos, lentes, gratidão tem a ver com o Coaching?

 

A gratidão no processo de Coaching apóia o coachee a reconhecer a si mesmo e o mundo ao seu redor. A buscar leveza. Otimismo. Esperança. Força. Presença. Motivação. Quer mais?

Ajuda-o a se reconectar consigo, com o outro, com o mundo e com sua espiritualidade. E com isso fica mais fácil traçar o caminho por onde se quer caminhar e aonde se quer chegar. É como se a gratidão fosse a lâmpada no caminho do coachee.

 

Eu me esforço cada dia para por meus óculos especiais com lentes de gratidão. Você já experimentou?

 

Texto escrito por Debora Gaudencio, coach, facilitadora em CNV, fundadora da Keea Yuna e integrante da Eight∞ Rede Colaborativa de Coaches.

 

Disponível originalmente no blog Medium: clique aqui para acessar

Please reload

Posts Em Destaque

"Papai, você é meu amigo?"

August 9, 2019

1/7
Please reload

Posts Recentes

July 12, 2019

July 4, 2019